POR QUE O CÂNCER DE MARCELO REZE…

Steve Jobs, Patrick Swayz…

Neide Sofia dispensa convites pa…

Neide Sofia declinou um c…

Fundos do show dos dez anos de c…

C4 Pedro, um dos mais inf…

Dj Dias Rodrigues junta artistas…

O Dj Dias Rodrigues vai j…

Os Dream Boys vão sair da Bom So…

Os membros do grupo music…

Novo projeto social leva Neide a…

A cantora e bailarina Nei…

Onde está o coração de Matias Da…

«Onde está o teu coração …

Pedro é o destaque no festival d…

O músico angolano C4Pedro…

Força Suprema: “Se fosse para vo…

Conquistando o público an…

NANDINHO SEMEDO ESTREIA NOVO VID…

O músico internacional Na…

«
»
SIGA-NÓSTwitterFacebook

Cantora angolana, Jess segue carreira a solo.

Jéssica Sousa, cantora Angolana de 24 anos, que desde os seus 3 anos de idade cresceu em Portugal aonde teve influências musicais de Teta Lando, Roberta Miranda, Patrícia Faria, Bonga, Eduardo Paim, Yola Semedo e na música Cubana, cabo-verdiana, antiliana e especialmente musica Americana (na era dos anos 90’s R&B e hip hop).

Aos seus 13 anos Jéssica foi viver para Londres (Inglaterra) aonde reside actualmente.Foi aos seus 13 anos que ela descobriu a sua vocação e paixão pela música, com o estilo gospel, Jéssica cantava na igreja aonde foi descoberta por um artista Angolano em Londres. Assim que conseguiu a sua primeira aparição no mundo da música, iniciando a sua carreira com o estilo R&B e Hip Hop.

Em Londres Jéssica era conhecida como Lady J, assim recebeu muitos convites para projectos, que lhe levarão a fazer o estilo Kizomba. Aos seus 15 anos Lady J era uma das poucas vozes Angolanas em Londres, o que a levou abrir o primeiro show de Anselmo Ralph e do cantor caboverdiano Nelson Freitas em Londres.
Com o passar do tempo Lady J decidiu encerrar a sua jornada no mundo da música para focar-se nos seus estudos, o que levou a se licenciar em Política e relações exteriores na Universidade de Kingston em Londres.

Depois de alguns anos fora do mundo da música Lady J, surge o convite do fundador da Yalankuwu eventos em Londres, para actuar em homenagem ao dia das mulheres. Lady J retornou ao mundo da música, e foi neste momento que conheceu outras vozes femininas em Londres como: Melody Soares, Vanybelle e Irina Dos Santos. E foi assim que Lady J teve a ideia de formar uma banda feminina PALOP chamada “As preciosas”, com a ajuda da Yalankuwu eventos a banda seguiu caminho por dois anos quando decidiram separar-se.

Após a separação da banda Jéssica já mais experiente decidiu seguir carreira a solo. A sua carreira a solo será uma carreira mais ampla musicalmente, nao se limitará so no estilo Kizomba, ira abranger outros estilos como R&B, HIP HOP, AFRO HOUSE e entre outros estilos musicais.

Jéssica acabou de assinar contrato com produtora M.A.S Entertainment. Uma Record Label Angolana em Londres unida a ” Quatro entertainment; Flash the producer e o Ak The general”. Com esta equipa super profissional e dinâmica que Jessica está a trabalhar. Jess é o nome artístico escolhido pela a cantora de hoje em diante. (o apelido dado pelos seus amigos Britânicos na escola) assim seguirá a sua carreira musical a solo.
A sua faixa E.P #Savage prestes a sair é um trabalho que representa a sua personalidade, a Jess é uma artista sem limites que recusa-se a limitar-se com titulos de cantora ou rapper.
Jess tem um estilo único e versátil, pois canta, compõe suas músicas e faz Rap. A mistura de influências musicais tanto Angolanas como Inglesa fazem suas músicas muito diversas, e podem ouvir influências tanto de hip hop; trap; afrobeats; kizomba; jazz; soul e vários estilos musicais que juntos formam a artista que é a Jess.

O projecto Savage é um perspectiva radical feminista, que tem por intenção gerar polémica, fala sobre o poder femenino, e especialmente a troca das tradicionais estruturas sociais que decidem qual a posição de uma mulher tanto em casa como na sociedade.
No projecto savage iram encontrar conteúdos que são “Tabu” como a homosexualidade. A faixa entitulada “fruto proibido” fala sobre a homosexualidade entre as mulheres e como são julgadas numa sociedade patriarcal.
A artista tem por intenção, combater essas atitudes e conceitos que pertencem a outra geração e substituí-las com os conceitos de um novo Millenium e uma nova geração.
A sua produtora disponibiliza para download a sua mais recente musica.

Noticias

Musica

Eventos

Reporter Famastar

SOBRE NÓS