Single de Johnny Ramos no Top da…

O regresso aos lançamento…

GRUPO KASSAV EM ANGOLA E PELA PR…

O grupo Kassav com mais d…

Calema: “Pretendemos levar o álb…

A dupla Calema, composta …

Neide Sofia dispensa convites pa…

Neide Sofia declinou um c…

Fundos do show dos dez anos de c…

C4 Pedro, um dos mais inf…

Dj Dias Rodrigues junta artistas…

O Dj Dias Rodrigues vai j…

Os Dream Boys vão sair da Bom So…

Os membros do grupo music…

Novo projeto social leva Neide a…

A cantora e bailarina Nei…

Onde está o coração de Matias Da…

«Onde está o teu coração …

Pedro é o destaque no festival d…

O músico angolano C4Pedro…

«
»
SIGA-NÓSTwitterFacebook

Cantora angolana, Jess segue carreira a solo.

Jéssica Sousa, cantora Angolana de 24 anos, que desde os seus 3 anos de idade cresceu em Portugal aonde teve influências musicais de Teta Lando, Roberta Miranda, Patrícia Faria, Bonga, Eduardo Paim, Yola Semedo e na música Cubana, cabo-verdiana, antiliana e especialmente musica Americana (na era dos anos 90’s R&B e hip hop).

Aos seus 13 anos Jéssica foi viver para Londres (Inglaterra) aonde reside actualmente.Foi aos seus 13 anos que ela descobriu a sua vocação e paixão pela música, com o estilo gospel, Jéssica cantava na igreja aonde foi descoberta por um artista Angolano em Londres. Assim que conseguiu a sua primeira aparição no mundo da música, iniciando a sua carreira com o estilo R&B e Hip Hop.

Em Londres Jéssica era conhecida como Lady J, assim recebeu muitos convites para projectos, que lhe levarão a fazer o estilo Kizomba. Aos seus 15 anos Lady J era uma das poucas vozes Angolanas em Londres, o que a levou abrir o primeiro show de Anselmo Ralph e do cantor caboverdiano Nelson Freitas em Londres.
Com o passar do tempo Lady J decidiu encerrar a sua jornada no mundo da música para focar-se nos seus estudos, o que levou a se licenciar em Política e relações exteriores na Universidade de Kingston em Londres.

Depois de alguns anos fora do mundo da música Lady J, surge o convite do fundador da Yalankuwu eventos em Londres, para actuar em homenagem ao dia das mulheres. Lady J retornou ao mundo da música, e foi neste momento que conheceu outras vozes femininas em Londres como: Melody Soares, Vanybelle e Irina Dos Santos. E foi assim que Lady J teve a ideia de formar uma banda feminina PALOP chamada “As preciosas”, com a ajuda da Yalankuwu eventos a banda seguiu caminho por dois anos quando decidiram separar-se.

Após a separação da banda Jéssica já mais experiente decidiu seguir carreira a solo. A sua carreira a solo será uma carreira mais ampla musicalmente, nao se limitará so no estilo Kizomba, ira abranger outros estilos como R&B, HIP HOP, AFRO HOUSE e entre outros estilos musicais.

Jéssica acabou de assinar contrato com produtora M.A.S Entertainment. Uma Record Label Angolana em Londres unida a ” Quatro entertainment; Flash the producer e o Ak The general”. Com esta equipa super profissional e dinâmica que Jessica está a trabalhar. Jess é o nome artístico escolhido pela a cantora de hoje em diante. (o apelido dado pelos seus amigos Britânicos na escola) assim seguirá a sua carreira musical a solo.
A sua faixa E.P #Savage prestes a sair é um trabalho que representa a sua personalidade, a Jess é uma artista sem limites que recusa-se a limitar-se com titulos de cantora ou rapper.
Jess tem um estilo único e versátil, pois canta, compõe suas músicas e faz Rap. A mistura de influências musicais tanto Angolanas como Inglesa fazem suas músicas muito diversas, e podem ouvir influências tanto de hip hop; trap; afrobeats; kizomba; jazz; soul e vários estilos musicais que juntos formam a artista que é a Jess.

O projecto Savage é um perspectiva radical feminista, que tem por intenção gerar polémica, fala sobre o poder femenino, e especialmente a troca das tradicionais estruturas sociais que decidem qual a posição de uma mulher tanto em casa como na sociedade.
No projecto savage iram encontrar conteúdos que são “Tabu” como a homosexualidade. A faixa entitulada “fruto proibido” fala sobre a homosexualidade entre as mulheres e como são julgadas numa sociedade patriarcal.
A artista tem por intenção, combater essas atitudes e conceitos que pertencem a outra geração e substituí-las com os conceitos de um novo Millenium e uma nova geração.
A sua produtora disponibiliza para download a sua mais recente musica.

Noticias

Musica

Eventos

Reporter Famastar

SOBRE NÓS