POR QUE O CÂNCER DE MARCELO REZE…

Steve Jobs, Patrick Swayz…

Neide Sofia dispensa convites pa…

Neide Sofia declinou um c…

Fundos do show dos dez anos de c…

C4 Pedro, um dos mais inf…

Dj Dias Rodrigues junta artistas…

O Dj Dias Rodrigues vai j…

Os Dream Boys vão sair da Bom So…

Os membros do grupo music…

Novo projeto social leva Neide a…

A cantora e bailarina Nei…

Onde está o coração de Matias Da…

«Onde está o teu coração …

Pedro é o destaque no festival d…

O músico angolano C4Pedro…

Força Suprema: “Se fosse para vo…

Conquistando o público an…

NANDINHO SEMEDO ESTREIA NOVO VID…

O músico internacional Na…

«
»
SIGA-NÓSTwitterFacebook

Onde está o coração de Matias Damásio?

«Onde está o teu coração está a tua riqueza.» Matias Damásio guarda o lema desde os 12 anos. Ouviu-o a alguém querido, tinha acabado de chegar a Luanda com a mãe e quatro irmãos, fugidos de Benguela, onde nasceu em 1982, então devastada e em guerra.

O pomar junto a casa, o mar e o violão, que entretanto aprendera a tocar, alegravam o menino pobre. Pela música, já então sonho, lutou desde miúdo. Pela música lavou carros, pelo sonho engraxou sapatos. A vida ensinou-lhe «que temos de nos preparar para estarmos à altura dos problemas, desafios, dificuldades, que temos de estudar, ser fortes, acreditar nos sonhos e trabalhar para isso, superar-nos dia após dia». A carreira começou em 2000, em festivais religiosos.

Para Matias, a música é, sobretudo, «uma lição interminável da vida porque tem a capacidade de definir as coisas de forma mais leve e menos científica, ajuda-nos a definir as coisas com alma».
Em 2003, venceu a gala À Sexta-Feira, da Televisão Pública de Angola. Venceu também o Festival da Canção de Luanda. E nunca mais parou. Em 2016 o êxito chegou a Portugal com Loucos, que alcançou o nº3 do top português de singles e a vice-liderança de downloads. Atualmente, leva trinta milhões de visualizações no YouTube. Daí aos coliseus de Lisboa e Porto foi um passo.

E dentro de dois meses atuará no festival MEO Sudoeste, na Zambujeira do Mar. Para Matias, a música é, sobretudo, «uma lição interminável da vida porque tem a capacidade de definir as coisas de forma mais leve e menos científica, ajuda-nos a definir as coisas com alma». Reconhecido, espera agora que a vida seja leve e justa: gostaria de poder ver os filhos crescer, ver os dois rapazes a enfrentarem o mundo, ganharem independência.
E aos 35 anos, um balanço: «O melhor da vida são essencialmente os amigos, as pessoas que nos amam. O sentido de viver é sabermos que somos amados, poder ser reconhecido pelo que fazemos.»

Notícias Magazine

Noticias

Musica

Eventos

Reporter Famastar

SOBRE NÓS