Os Dream Boys vão sair da Bom So…

Os membros do grupo music…

Novo projeto social leva Neide a…

A cantora e bailarina Nei…

Onde está o coração de Matias Da…

«Onde está o teu coração …

Pedro é o destaque no festival d…

O músico angolano C4Pedro…

Força Suprema: “Se fosse para vo…

Conquistando o público an…

NANDINHO SEMEDO ESTREIA NOVO VID…

O músico internacional Na…

Detido Membro da Força Suprema n…

A polícia da República de…

Eva Rap Diva lançou novo CD no p…

O álbum é dedicado à sua …

Vanya S. lança single de estreia…

A cantora angolana Vanya …

Beboclone: “ O kuduro ainda é al…

Beboclone, autor do suces…

«
»
SIGA-NÓSTwitterFacebook

DOM KIKAS

Don Kikas (Emílio Costa) nasceu em Angola, na cidade do Sumbe, província do Kwanza-Sul. Ainda nos primeiros meses da sua infância, emigra para o Brasil com os seus pais onde começa a ganhar o gosto pela música e o sonho de um dia vir a ser um artista. Aos 8 anos de idade, já em Angola, compôs a sua primeira canção com a ajuda da mãe. Participava em alguns concursos para cantores infantis, e as vitórias consecutivas serviam de incentivo para continuar a cantar, a compôr e a sonhar.

Aos 18 anos vai para Portugal para continuar os estudos, nessa altura em Lisboa, começa a cantar em discotecas e bares da cidade até surgir o convite para gravar o seu primeiro disco em 1994, editado em 1995 com o título “Sexy Baby”. Foi a rampa de lançamento para o sucesso, e dois anos depois é lançado o seu segundo álbum “Pura Sedução”, no qual, para além da Kizomba, procurou mostrar que o Semba, considerado na altura música para os “mais velhos” podia ser consumido e preservado pelos jovens. Com esse disco abriu portas em vários novos mercados e arrecadou alguns galardões, com destaque para o seu primeiro “Disco de Prata” e o prémio de “Música do Ano” para o tema “Esperança Moribunda”, atribuído pela Rádio Nacional de Angola.

Em 1999, grava em Lisboa, Paris e Boston o álbum “Xeque-Mate”, que arrecadou no ano 2000 os galardões de “Disco de Ouro” por mais de 20.000 cópias vendidas; “Disco do Ano”, “Voz do Ano” e “Melhor Kizomba do Ano” para o tema “Na Lama do Amor”, atribuídos pelos prémios Rádio Luanda. Foi ainda convidado pelo artista brasileiro Martinho da Vila para uma parceria musical que originou uma digressão pelo Brasil, depois seguiram-se convites para digressões pela Europa, EUA, Macau, Moçambique, Cabo-Verde, etc,etc.
Em 2003, com mais de 50 músicos de várias origens, grava o álbum “Raio X”, experimentando assim uma incursão por novas sonoridades e estilos ligados à cultura nacional e internacional. Com “Raio X” Don Kikas arrecadou o galardão de “Disco de Prata” em Portugal e seguiram-se várias digressões em novos mercados.

Já em 2005, numa nova fase da sua carreira, Don Kikas junta alguns dos melhores músicos do mercado para gravar o álbum “Viagem”, editado em 2006 pela sua própria editora AMG (Angola Music Group). Um álbum duplo, que viaja entre as sonoridades modernas e dançantes como a kizomba e o zouk (CD1), passando pelas tradições do Semba, da kazukuta e do kilapanga (CD2).
A 15 de Maio de 2011 é lançado em Angola o sexto álbum de originais com o título “Regresso à Base”. Disco gravado entre Luanda, Lisboa e Paris, este “Regresso à Base” marca mais uma nova etapa na carreira do artista, sendo um sucesso logo à saída com vendas superiores a 10.000 cópias em Luanda, no primeiro dia.
Don Kikas tem pisado palcos por todo o mundo, tem feito parcerias musicais com vários artistas de renome nacional e internacional, compõe para si e para muitos outros. Sempre com o nome de Angola na voz e no peito.
Por Paula Rêgo (Press)

Noticias

Musica

Eventos

Reporter Famastar

SOBRE NÓS